Tuesday, October 27, 2015

Quanto tempo!

Gente, não acredito que fiquei taaaanto tempo sem escrever aqui. Na verdade não aconteceu muita coisa, mas nesse tempo fiz mais um ultrassom do meu pequeno, que está a coisa mais linda desse mundo. Ele estava alongando as pernas, abrindo e fechando as mãozinhas. Uma graça! A médica conseguiu até medir o pipizinho dele. rsrsrs

Está tudo superbem comigo, entendi o que falavam sobre o segundo tri ser o melhor. Estou numa disposição enorme! Consegui voltar firme aos exercícios, estou comendo bem até demais e doida pra fazer as coisas do quartinho dele.

Mas bebê segue sem nome, está bem difícil de decidir.

Já contei que encontrei a médica que vai fazer meu parto? Encontrei! É uma obstetra humanizada que atende pertinho de casa e acompanha parto no Einstein e no São Luiz do Itaim. Como meu convênio não cobre Einstein, vai ser no são Luiz mesmo. Nem fui lá conhecer ainda, mas pretendo ir.

A decisão de procurar por uma médica humanizada não foi muito difícil, porque pensei bem nas outras opções e não conseguiria conviver com nenhuma delas. Não sei nem ainda como vou pagar pela equipe, mas, se preciso, pego um empréstimo no banco. Uma coisa é fato: o dia que vou trazer meu filho ao mundo vai ser o dia mais importante da minha vida e vou fazer tudo que puder para que ele seja o menos estressante e o mais saudável pra nós dois. Isso pra mim é mais importante que decoração de quarto, berço caro ou carrinho de última geração.

E eu cheguei a pensar em fazer com um médico de convênio, mas fiquei me imaginando na situação de estar sentada no consultório do cara, chegar no final da gravidez e ele começar a inventar indicação de cesárea (que é o que eles costumam fazer). Eu vou ficar tão nervosa, mas tão nervosa... Final de gravidez já não é fácil, tendo que lutar pelo que a gente acha certo deve ser ainda pior.

Mas estou superfeliz com as discussões que tomaram o Brasil sobre a forma adequada e respeitosa de parir. Acho que a mudança vai vir, sim. Não vai ser fácil, porque é uma mudança estrutural que passa por saúde pública, saúde privada e percepção das mulheres. Só acho que a discussão tem que sair do parto normal X cesárea. A dúvida não é essa e colocar as defensoras de um contra as defensoras de outro só faz atrasar a transformação. A Organização Mundial da Saúde e o mundo todo já sabem que o parto normal é mais saudável e traz menos riscos tanto para a mãe quanto para o bebê. O Brasil é recordista mundial em cesárea. Será que nós estamos certos e o mundo inteiro, inclusive os países mais desenvolvidos, é que estão atrasados? Acho que não, né?

Agora é descobrir como fazer valer o direito das mães e dos bebês de ter o melhor parto para eles. Porque tão ruim quanto uma cesárea com necessidade inventada é um parto normal cheio de intervenções bizarras e falta de respeito.

6 comments:

  1. Quanto tempo mesmo sumida...rsrsrs...que bom que está tudo bem, não vejo a hora dessa energia toda aparecer por aqui...rsrsrs

    Bjão

    ReplyDelete
    Replies
    1. Logo mais, Carol! E vc vai lembrar do que eu disse! rsrsrs
      Beijos

      Delete
  2. Que delícia é o segundo tri né ?! Delícia mesmo é ver tantas mulheres se empoderando, mudando a forma de nascer, tomando posse dos seus direitos. Também quero um parto mais natural possível. Não suma mais. Beijos.

    www.decidisermamae.blogspot.com.br

    ReplyDelete
    Replies
    1. Que bom, Mika! A gente vai conseguir! Beijos

      Delete
  3. Que bom que está tudo bem, Licka!! E parabéns pela decisão!
    Hoje em dia é uma jornada encontrar um médico humanizado... Que ironia, né?
    Beijos!!

    ReplyDelete
  4. Pois é, parece até que nem humanos somos. Ou que os bebês só começaram a nascer quando inventaram a cesárea... Beijos

    ReplyDelete