Thursday, January 29, 2015

Mexendo o esqueleto

Sabe aquelas coisas que a gente sabe que temos que fazer, mas vamos fingindo que não é com a gente? Mas quando começamos a pensar em ter um filho, tudo ganha maior proporção. Queremos que eles sejam saudáveis e boas pessoas para o mundo --tanta gente se preocupa se o mundo está bom para trazer uma nova pessoa para ele, em vez de se preocupar em criar boas pessoas para ele, que é no fundo o jeito de melhorá-lo (mas estou me alongando e isso é assunto pra outro post).

O único jeito de parirmos um ser saudável é se formos saudáveis antes. Afinal, o bolinho vai vir do nosso forninho, não é? Aproveitei aqui e expliquei o nome do meu blog, ó que beleza!

Foi pensando nisso que decidi sair do sedentarismo aos 30 anos de idade. E eu era daquelas que sentiam orgulho de ser sedentária. Como sempre tive um peso normal, ria na cara das pessoas que se matavam na academia e se atracavam com um prato de alface. Orgulho da própria limitação deve ser uma forma de viver em negação, né? Eu me achava superior, porque "não precisava fazer nada" e as outras pessoas ali "perdendo" horas em uma atividade. Chamada oral rápida: quem ali estava perdendo alguma coisa, as pessoas ou eu? Acertou quem escolheu a resposta b.

O problema era que eu não gostava de fazer nada. Me matriculava na academia por um ano, mas ia no máximo três meses. Mentira, falei isso porque essa é mais uma desculpa que costumava usar. Esse não era o problema real. O problema era falta de disciplina, porque ninguém prefere acordar cedo pra se exercitar em vez de ficar um pouco mais na cama. Tem que pôr na cabeça que tem que ser feito e pronto, e não ficar parando pra pensar se hoje você está a fim ou não. É como trabalhar e passar o fio dental. Nem sempre a gente está com vontade, mas faz. (ok, às vezes eu deixo de passar o fio dental, confesso).

Enfim, mas quando fiz 30 anos, fiquei mais pensativa, fiz um balanço do que tinha acontecido até então e do que eu queria para os próximos 30 anos. E decidi que uma doença coronariana não estava nos meus planos. Com umas amigas, montei um grupo de corrida com um professor. Éramos em 10 mulheres, íamos duas vezes por semana no parque pra treinar. Nas primeiras aulas, eu corria por 30 segundos e tinha vontade de vomitar, passava muito mal mesmo. Um mês depois: de 10 caímos pra 3 alunas. As outras 7 começaram com as desculpinhas de sempre: falta de tempo, a perna que dói, o vento que não está soprando pro lado certo... Mas depois desse mês, eu já conseguia correr 1 km. Devagar, mas corria. 

E assim foi indo. Ficamos (só eu e mais uma amiga) com esse grupo por dois anos. Depois, mudei pra longe do parque e paramos de ir. Mas a corrida nunca mais saiu da minha vida. Hoje tenho uma esteira em casa, na qual subo pra correr sem falta 3 vezes por semana e, quando dá, vou pro parque treinar ao ar livre. De vez em quando, faço umas provinhas de rua que dão um gás incrível aos treinos. Comecei a sentir falta de algum exercício muscular e me encontrei no pilates há um ano e meio.

Mas é isso, gente, eu não acordo com vontade de ir pra esteira. Eu me jogo pra fora da cama sem pensar, porque se eu pensar, não vou. Com o pilates é a mesma coisa: eu coloquei como prioridade na vida. Se alguém me chama pra fazer algo na mesma hora do pilates, eu não vou, porque se ele ficar em segundo plano, do tipo "ah, tudo bem, depois eu reponho", não vai rolar. A tendência é não ir, sempre, então eu só vou e depois penso. Sabe aquela dor muscular horrorosa que às vezes ficamos nos dias seguintes a um treino mais pesado? Então, vou curá-la na esteira ou no pilates. Porque esquenta e passa. Eu simplesmente não aceito as minhas próprias desculpas. Porque é o que eu sempre falo: desculpa pra não se exercitar tem umas 500, põe no papel. Você tem é que encontrar uma ou algumas desculpas boas o suficiente para serem maiores do que todas as outras. Pra mim foram essas: 

- Um corpo capaz de parir. Porque não é fácil carregar aquele peso todo e, menos fácil ainda, aguentar o esforço físico do trabalho de parto.
- Dar exemplo para meu filho, pois quero que ele seja esportista desde criança, pra quando ele crescer não ficar nesses dilemas "faço ou não faço" que a gente tem.
- Não quero precisar de ajuda pra ir fazer xixi quando estiver velhinha.

Dito tudo isso, eu confesso que só estou no caminho da conscientização. A parte da alimentação ainda é difícil pra mim. Também aos 30 anos comecei a comer salada, mas ainda como muita porcaria. Mas isso é assunto para o próximo post.

Deixo vocês com o maravilhoso Drauzio Varella, que pôs em um vídeo tudo o que eu penso:

video








Monday, January 26, 2015

Tristeza

Na sexta meu cachorrinho que estava pra completar 18 anos morreu. Ele estava há muito tempo sem enxergar, ouvir, se comunicar, mas isso não faz doer menos, sabia? Eu sou muito apegada aos animais. Algumas pessoas condenam, mas pra mim é igual família, sim. E ele era o filhinho mais novo dos meus pais, o único que ainda estava em casa.

Agora minha mãe, dona de casa, e meu pai, recém-aposentado, estão desolados, sentindo um vazio enorme. Nunca vi meu pai desse jeito, nem quando os pais dele se foram. Isso também porque eles tiveram que tomar a decisão de fazer a eutanásia, pois ele estava sofrendo muito. O racional diz que foi a melhor coisa a se fazer, mas o emocional sofre, duvida, se pergunta se não dava pra tentar mais. Sei que meu pai ficou com ele no colo até o final e se eu fico criando essa cena na cabeça, imagino como ela não fica passando na cabeça do meu pai.

Agora minha vontade de engravidar nesse ciclo triplicou. Quero muito dar uma notícia dessas pra eles. Sei que não é bom eu colocar essa pressão em mim, porque a decepção pode ser grande, mas não importa, até o final, eu VOU acreditar que vai ser dessa vez.

Enquanto isso, TO escurece, clareia, mas nada de positivar. Muco fértil há dias, mas nada de ovulação confirmada pela TB ainda. Só resta treinar muito, todos os dias, pra aumentar as chances.


Friday, January 23, 2015

Com emoção

Nada de tranquilidade por aqui. Nos últimos ciclos ovulei lá pelo 26DC, então estava sossegada, pensando em começar a usar teste de ovulação só lá pelo 18DC. Mas aí no 14DC apareceu um muco watery (fértil) e lá fui eu xixar no palito de TO. Apareceu uma corzinha, no dia seguinte escureceu bem, mas sem positivar ainda. Aí fiz outro TO no mesmo dia e clareou. Hoje parece que a bagaça está escurecendo de novo. Estou super confusa! A temperatura ainda não subiu, por isso sei que ainda não ovulei, mas sigo acompanhando pra ver no que dá.

Pra piorar, marido marcou o espermograma --essa parte é boa!-- e não podíamos namorar por 3 dias. TO escurecendo e espermograma marcado, foi um sufoco! Mas ontem ele finalmente fez o exame e ainda não ovulei, então estamos no jogo. Fim de semana vai ser animado!

Falando no espermograma, finalmente ele fez, mas reclamou o bichinho, viu... Eu escancarei as pernas, enfiaram um cateter no meu útero, injetaram iodo e mandaram eu ficar mudando de lado na maca e eu não reclamei tanto quanto ele reclamou pra gozar no potinho. Disse que nunca mais faz esse exame. Espero que saia perfeitinho e ele nunca mais precise fazer mesmo!

O resultado dele sai no final da próxima semana e já vou marcar o retorno no médico pra levar tudo. Enquanto isso, estou meio preocupada por nunca ver o muco egg, que é o mais fértil de todos. E lembro bem dele, eu tinha nas outras vezes que parei o AC. Agora, nem sinal. Só fico com esse watery, que parece um egg mais aguado. Estou fazendo duas coisas pra ver se ele aparece: bebendo bastante água e tomando elixir de inhame.

Nesse meio tempo meus pais estão falando de viajarmos no Natal e Ano Novo e já querem marcar passagem, hotel e cruzeiro pra ficar mais barato. Como eles não sabem das tentativas, fico aqui fazendo as contas: se eu engravidar nos próximos 4 meses, o bebê vai ser muito pequenininho pra viajar ou vou estar no fim da gestação e não rola de se enfiar num navio. Teria que engravidar a partir de maio pra estar com uns 6 meses de gravidez. Mas vou deixar a vida me levar. Nosso filho é mais importante, mas que seria legal já estar com ele na barriga e montar o enxoval na gringa, ah, isso seria!

Monday, January 19, 2015

Histerossalpingografia



Ô nominho complicado, hein? Não é à toa que muita tentante fica com medo só de ouvir falar. Mas é um exame muito importante para quem está tentando engravidar por algum tempo e não consegue. Geralmente, os médicos pedem depois de um ano de tentativa ou depois de 6 meses se a mulher já passou dos 30.

Vou tentar explicar de uma forma bem leiga como ele funciona: é injetado um contraste de iodo na abertura do colo do útero e feito raio-X para enxergar a passagem desse contraste. Que eu saiba, é a única forma de saber como estão as tubas, pois elas não aparecem na USG. Com as chapas, o médico descobre se tem algo impedindo a passagem nas tubas ou se o líquido passa normalmente por todo o percurso que o embrião um dia deve fazer.

A preparação e o exame mudam de laboratório para laboratório. Mas, uma dica: se um dia você tiver que fazê-lo, procure um lugar que não pince o útero e use contraste aquecido. Pois o pinçamento e o contraste gelado são os principais motivos para tanta mulher sentir dor durante o exame.

Onde fiz, no Cura, em São Paulo, foi da melhor forma possível. Não senti dor alguma! A médica que fez pediu pra eu avisar se sentisse qualquer coisa, pois não era para eu sentir. Quando vi, o exame já havia acabado. Ela disse que eu poderia ter sangramento nos dias seguintes, mas só saiu mesmo um líquido amarelado, que deve ter sido do contraste de iodo. Senti também um pouquinho de cólica até o dia seguinte, mas bem de leve.

Fiz na quinta e hoje o resultado já estava no site do laboratório. Pelo que entendi e procurei no Google, não está perfeito, pois tem uns pequenos inchaços nas tubas. Mas parece que não é nada que atrapalhe a concepção. Preciso levar para o médico ver, mas quero que antes meu marido faça o espermograma. Gente, por que eu tenho tanta pressa de resolver as coisas e ele nem se meche? Só falta eu pegar pela mão e levar até o laboratório...



















Friday, January 9, 2015

Três para dar sorte

Não foi dessa vez, minha gente. Um dia depois que escrevi o post da dúvida, veio o spotting e no dia seguinte a M. Uma M cheia de cólica, preguiça e dor de cabeça. Fiquei decepcionada? Um pouco. Mas começo também é cheio de esperanças e é assim que vou encarar meu terceiro mês de tentativas.

Eu ainda não sei exatamente o que aconteceu, mas desconfio que eu tenha ovulado depois do que o FF marcou, porque senão, eu teria tido uma fase lútea de 15 dias, sendo que a primeira foi de 12. Não estou falando que isso é impossível, mas não é tão comum. Aqui vai meu gráfico pra vocês verem:


A linha tracejada quer dizer que o aplicativo não tem certeza do dia da minha ovulação. Ela pode ter acontecido um ou dois dias depois do que está marcado.

Vou mudar algumas coisas, sentindo que esse é O CICLO!

- Comecei a fazer TO nesse último ciclo. Fiz por vários dias até positivar. Positivou, eu parei de fazer. Está errado, pois acontece bastante de o TO positivar mais de um dia e só depois do último dia que ele positiva que a gente vai ovular.

- Não consegui treinar tanto quanto eu gostaria, por causa das festas. Viajamos e dividimos quarto no Natal e no Ano Novo. No próximo ciclo, vai ser todos os dias, por uns 10 seguidos. Não quero saber de preguiça!

- Marquei a histerossalpingografia para quinta que vem. Se tiver alguma obstruçãozinha pequena nas trompas, eles já tiram. Dizem que os PFs pós-exames são super férteis, pois o caminho fica livre.

- Tomei Saúde da Mulher e Elixir de Inhame nesse último ciclo. Sinceramente? Não adiantou nada! Mas ainda tenho Elixir em casa, então vou tomar a partir do 7DC. Mal não faz...

- Marido ainda não fez o espermograma. Ele está sem convênio e janeiro não é fácil com tanto imposto pra pagar. O ideal seria se ele fizesse logo, mas, já que não vai dar, comprei pra ele umas vitaminas e minerais que dizem ajudar os peixinhos.

E que tem 4 amigos próximos do marido "grávidos"? Eu adoro, porque a vontade nele só cresce :-)


Fertility Friend

O que é ovulação?
Ovulação é a liberação de um óvulo maduro do folículo ovular. A cada ciclo menstrual, vários folículos começam a amadurecer e se desenvolvem sob a influência dos hormônios pituitários (liberados pela hipófise). Normalmente, apenas um folículo se desenvolve completamente. Enquanto os outros regridem, o folículo dominante produz um óvulo que pode ser liberado e fertilizado. O folículo em crescimento secreta quantidades crescentes do hormônio estrogênio. Seguindo o pico de produção de estrogênio, surge o hormônio luteinizante (LH). O surgimento do LH engatilha a liberação do óvulo maduro de seu folículo. Isso é ovulação.




Wednesday, January 7, 2015

Segundo ciclo

Oi, pessoas querida. Tudo bom com vocês? Como foram de Réveillon? O meu foi ótimo, apesar do calor infernal que não me deixou dormir direito nenhum dia. De qualquer jeito, preferia aquele calor do que voltar a trabalhar hoje :-/

Mesmo viajando, dividindo quarto com outras pessoas, dei um jeitinho de continuar medindo a TB. Os horários não eram certinho, algumas noites dormi pouco, bebi álcool, mas pelo menos medi. Mas estou confusa. De acordo com meu primeiro ciclo, minha fase lútea é de 12 dias. Hoje estou no 14º dia depois da ovulação e até agora nada de M. Estava ansiosa pra acordar hoje, medir a TB e, se ela não tivesse baixado, ia fazer um teste. Até dormi pensando: se der 36,5º C, tenho motivos para ficar esperançosa, já que ontem ela estava em 36,3. Alguém aí adivinha quanto marcou o termômetro? Alguém? Alguém? 36,5, meu povo! Lá fui eu toda feliz xixizar no palito. Mas, como o Fertility Friend costuma dizer, deu um BFN (Big Fat Negative - Grande e Gordo Negativo). Nem uma linhazinha fantasma pra encher os olhos e o coração.

Tenho 3 explicações possíveis para esse caso, me ajudem:

1 - Minha fase lútea ainda está desequilibrada depois do AC, portanto não dá pra saber de quantos dias ela é realmente;

2 - Eu não ovulei no dia que o FF marcou. Até porque ele marcou com linha pontilhada, o que significa que ele não tem certeza;

3 - Estou grávida, mas ainda é cedo pro teste detectar.

Sinceramente? Não sinto que seja a terceira opção. Aliás, isso leva a outra dúvida: toda grávida sente quando está grávida? Ou depois que dá o positivo é que ela começa a lembrar dos sintomas e acha que já eram da gravidez?

Qualquer que seja a realidade, só tenho uma coisa a fazer: esperar. Ó céus, ó vida de tentante...

Pra não perder o costume, o Minuto de Sabedoria do FF:

Qual é o sinal mais importante de fertilidade?
Cada sinal de fertilidade diz uma coisa diferente sobre o que está acontecendo no seu corpo. Cada um está relacionado a um hormônio diferente e seus hormônios são responsáveis pelo seu ciclo fértil.

Sinais que mostram que o estrogênio está aumentando são importantes para ajudar a treinar nos dias certos durante o período fértil, pois você está geralmente  mais fértil nos dias que antecedem a ovulação, quando o folículo está amadurecendo. O folículo produz estrogênio enquanto está amadurecendo. Sinais que mostram que o estrogênio está aumentando são:
- Muco cervical (molhado, escorregadio, como clara de ovo)
- Posição cervical (alto, macio, aberto)
- Formato de samambaia na saliva vista pelo microscópio (ferning test)

Um teste de ovulação positivo diz que o LH (hormônio luteinizante) está surgindo e você provavelmente irá ovular de 12 a 48 horas. O TO também é bom para você programar as relações sexuais. O TO e os sinais relacionados ao estrogênio não determinam a data da ovulação e não podem dizer que você ovulou. Eles são importantes para ajudar a programar as relações e para serem analisados junto com a temperatura para dar a melhor análise possível.

Sua temperatura basal, a TB, está relacionada ao hormônio progesterona. A progesterona, produzida pelo corpo lúteo depois da ovulação, causa o aumento da temperatura corporal e está presente apenas depois da ovulação. Quando você vê uma mudança de temperatura, você sabe que ovulou um dia antes da subida. Como permite a confirmação da ovulação, a TB geralmente proporciona mais paz e permite maior visão do ciclo menstrual. Todos os outros sinais podem acontecer com ou sem ovulação, mas seu gráfico vai mostrar um padrão bifásico apenas quando você ovular.